domingo, 25 de setembro de 2011

Gestos

Pequenos gestos, têm o condão de nos deixar zonzos de felicidade, ou nos deixar mortalmente feridos!
Os homens sensíveis, são capazes de gestos simples, às vezes, sem ter a menor idéia da preciosa jóia com que presenteiam suas parceiras, enquanto os homens insensíveis, igualmente, não se dão conta, da poderosa arma mortal, que têm nas mãos!
Certa vez, há muitos anos, tive uma dessas brigas bobas, com o então meu namorado, ocasião em que ele acabou falando algumas coisas que não devia ter dito, porque primeiro, eu não merecia e depois, ele não tinha razão e estava sendo indelicado, mas sem chegar a ser agressivo. Apenas falou demais e, quando o deixei na porta da sua casa, para ir para à faculdade, estava um tanto contrariada, pela briga e por ele ter me dito o que disse. 
Lembro que não foi nada sério e, até o motivo da briga, eu esqueci, mas jamais esquecerei, quando cheguei em casa, e me deparei, na porta, fixada com fita adesiva, uma rosa (dessas roubadas), com a frase: 
"Me perdoa por ter sido tão cruel!"
Há muito, a rosa deixou de existir, mas a delicadeza, a sutileza, persistirão nas minhas lembranças, por toda a minha vida!
Aliás, esse mesmo namorado, foi muito especial, porque tinha esses cuidados tão delicados, como quando, certo dia, ele me ligou para combinarmos o que faríamos no dia seguinte e eu comentei que não sabia se conseguiria fazer alguma coisa, porque estava com cólica menstrual.
No dia seguinte, lá pelas 7 horas da manhã, acordei com o perfume e a suavidade das pétalas de rosas roçando o meu rosto, e o sorriso mais lindo que ele podia me dar, quando me disse: 
"Não tenho como sentir a sua dor, mas posso emprestar o meu corpo, para aquecer o seu e com isso, procurar pelo menos ajudá-la a suportar a dor, com o meu carinho e o meu amor, porque já é tão difícil ser mulher, e ainda ter cólicas? Você quer que eu fique aqui com você?"
De antemão aviso que este homem existe, mas não está disponível, é claro! Risos...
O contrário, também existe, infelizmente em maior profusão: 
No outro dia, meu atual namorado, foi surpreendido por mim, num local diferente do que me havia dito que estaria. Quando o chamei para dizer que ele não precisava ter esse tipo de postura, porque era livre para ir para onde quisesse, quando lhe provesse, ele ficou tão confuso por me ver ali, onde não previa, que em vez de vir a mim para conversarmos, me deu as costas e seguiu seu caminho.
Sua indiferença quase custou o nosso relacionamento, porque não sou mulher de ser tratada com indiferença!
Claro que ele se desculpou, porque não teve a intenção de me ignorar, mas só "fugiu", porque não sabia o que fazer ou o que me dizer naquele momento, pois tinha sido surpreendido. 
Já está tudo bem entre nós, mas com certeza, este foi um gesto, entre os quais, eu costumo dizer que têm o poder de nos aniquilar, nos jogar pra baixo de forma quase irrecuperável!
Um homem gentil e sensível, trata a sua companheira com deferência e respeito.
Uma mulher que se valoriza, retribui essa deferência e esse respeito, acrescentando ainda, generosa pitada de carinho.
Um homem grosseiro e desrespeitoso, trata a sua namorada, esposa, com indiferença e apatia.
Uma mulher que não tem amor próprio, aceita esse tratamento, como se fosse natural ser mal tratada e desrespeitada.
Penso que é dever de quem se valoriza, cuidar do outro exatamente como quer ser cuidado, seja homem ou mulher, porque, como diz a propaganda do cartão de crédito: ... certas coisas na vida, não têm preço!

Tenham uma ótima semana!

Boa noite!

5 comentários:

Rose Mary disse...

Nossa prima gostei de suas colocações e pingos nos is muitos têem a inteligência necessária para compreender o sentido da vida seja nas coisas mais singelas que por mim são as mais importante mas estamos cada um de nós num patamar de evolução então muitas vezes os que estão ao nosso redor nem se apercebem do quão somos delicadas como uma flor(chorei viu lendo pode fazer o livro.

Pérolas da Dindoca disse...

Lindo.........Bjs

Ana Flávia disse...

prefiro acreditar e sonhar com a primeira parte, o primeiro namorado.... uma sensação de aconchego e proteção... não precisa necessariamente ser namorado....uma amizade colorida pode trazer cumplicidade e calor....essa amizade permite abrir o casaco, sentir o calor do peito, aninhar-se e nesse calor adormecer alguns minutos...ainda existe esperança!

Anônimo disse...

Helena adorei, reamente tem palavras que são armas mortais, que ferem, matam, mas também pequenos gestos que marcam pra vida toda, como esta parte que vc colocou que estava com cólicas, que lindo o que ele fez , eu pensei que não existisse, mas vc logo afirmou que existe homens assim,lógico uma raridade, quem sabe 1 no planeta.....rsrsrsrsrs, vc foi previlegiada de ter vivido o momento e hoje passar pra gente, viu como vc coloca tudo de uma maneira que é quase cinematografica, o seu tem que sair...bjssssss ...Rosani

Anônimo disse...

ops...eu quis dizer que o seu livro tem que sair...rsrsrsrsrs....Rosani