terça-feira, 15 de setembro de 2015

Valores

Pensa em alguém para se admirar. Essa moça, nasceu na favela, morou em barracos de lona onde chovia mais dentro do que fora do abrigo.
Cresceu no meio do tráfico, aprendeu como se rouba, mas jamais tirou um alfinete de ninguém!
O assassino do avô, cruzou com ela que brincava no caminho e perguntou onde poderia encontrá-lo. Em breve espaço de tempo ela ouviu o estampido da arma que o matou!
Quando criança, os outros avós e algumas tias a espancavam sistematicamente, a ponto de acordá-la no meio da noite, para a dose diária de murros e açoites com varas. A mãe vivia drogada ou doente internada... o pai biológico, não sabia o paradeiro e o padrasto, a quem chamava de pai, foi assassinado na sua frente e ela não tinha nem seis anos.
Quais as chances dela se tornar uma pessoa de bem, nesse ambiente?
Mas ela venceu tudo isso!
Muito inteligente, olhou para tudo a sua volta e entendeu que nada disso era bom. Não podia ser bom!
Saiu da cidade, estudou um pouco e foi trabalhar ainda muito menina. Depois dizem que trabalho infantil não é admissível! Tenho cá minhas dúvidas! No caso dela, pelo menos, foi o que a salvou!
Como babá, conviveu com pessoas que não faziam parte do contexto da sua infância e foi aprendendo que o bem surtia melhores efeitos que o mal.
Não tinha nem vinte anos, quando conheceu o pai do seu filho. Se apaixonaram!
Curiosamente, ele vinha de uma família conturbada também (talvez essa tenha sido a razão da identificação deles), porque mesmo os irmãos dele envolvidos com o tráfico, ele preferiu estudar e não se aventurar no mundo do crime. Constituíram uma família linda!
Ontem, ela me contou que se separaram. Fiquei triste com a notícia, porque formavam um lindo casal!
Ele a estava traindo há muito tempo.
Enquanto ela me contava, eu via a dor e o sofrimento em seus olhinhos que se negavam a derramar uma única lágrima. 
Essa menina forte, corajosa, determinada, estava visivelmente ferida. O companheiro a tinha ferido em seus princípios rígidos, onde o amor ao filho e a dedicação à família, tinham sido sua maior razão de vida!
Seus valores, ela cultivou um a um sozinha e, quando pensou que ajudando o companheiro a superar suas dificuldades e estudar com afinco para vencer na vida seria o bastante para manter a unidade familiar, se depara com essa traição.
Ele não a traiu simplesmente! Traiu sua dedicação por anos! Traiu seus cuidados ainda grávida, quando ele sofreu um acidente e foi lançado por meses numa cama, enquanto ela fazia sua jornada de trabalho para colocar comida em casa e à noite, tratava dos ferimentos dele e o banhava e alimentava com muito amor.
Traiu a juventude dela, que abdicou das baladas com as amigas, pela vida em família e sua entrega incondicional a ele.
Ele traiu seus valores!
Enquanto as pessoas não tiverem respeito umas pelas outras e por si mesmas, vamos encontrar histórias assim, mas com algumas diferenças:
Nessa história, ela seguirá o caminho do bem. Está voltando para sua cidade, com seu lindo filho nos braços e a certeza de que fez o seu melhor.
Ele... bem, já não se pode ter a certeza de que continuará no bom caminho. Seus valores não são os mesmos que os dela. 
Como seria bom se a vida pudesse contar um final feliz pra todos...
Espero que ela encontre um final feliz!

Boa tarde!

Nenhum comentário: